às 15:20:00

Acadêmica e docente do curso de Direito do Uniptan aprovam trabalho no II Congresso Internacional de Políticas Autocompositivas do Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais.

No período de 10 a 13 de maio, o Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais (TJMG) promoveu o II CONGRESSO INTERNACIONAL DE POLÍTICAS AUTOCOMPOSITIVAS, oferecendo um espaço para o intercâmbio de conhecimento entre profissionais do direito e pesquisadores de instituições de ensino superior nacional e internacional.

O evento foi realizado no formato virtual, transmitido pelo canal do Tribunal no Youtube.
O II Congresso Internacional de Políticas Autocompositivas do TJMG é uma realização da 3ª Vice-Presidência do TJMG, em parceria com a Escola Judicial Desembargador Edésio Fernandes – EJEF, com apoio da Escola Superior Dom Helder, da Universidade Complutense de Madrid e da Universidade das Ilhas Baleares – UIB.

A acadêmica do 7º período do curso de Direito do UNIPTAN, Raphaella Teixeira de Abreu Junqueira juntamente com o Prof. Dr. Pedro Arruda Junior, tiveram a pesquisa intitulada “A conciliação como método de solução de conflitos: um estudo à partir da experiência do Juizado Especial Cível da Comarca de São João del Rei/MG” aprovada para apresentação no II Congresso Internacional de Políticas Autocompositivas do Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais.

A pesquisa é fruto do Grupo de Pesquisa PAPO – Participação popular e cidadania sob a ótica da Constituição da República de 1988, liderado pelo docente do UNIPTAN, Prof. Dr. Pedro Arruda Junior.


Fonte: